Como é viajar para o exterior durante a pandemia

Com a reabertura das fronteiras de diversos países para brasileiros, muita gente tem se questionado se é o momento, se é seguro e se vale a pena voltar a viajar para o exterior. Isso vai depender da experiência e do objetivo de cada viajante, mas, com o avanço da vacinação, a retomada das viagens internacionais deve acontecer aos poucos. O que você precisa saber é como está o processo de viagem ao exterior no período atual.

Estive no México no mês de outubro e pude entender melhor como funcionam as medidas de segurança, tanto das companhias aéreas, quanto das autoridades locais, país de origem e país de destino. É bom ficar atento para cumprir todas as exigências, evitando perder a viagem ou até mesmo ficar “preso” no país visitado por alguns dias. Se liga no passo a passo para não passar perrengue numa viagem internacional.

Turismo no México está funcionando quase normalmente

O primeiro passo, antes de comprar uma passagem e planejar a viagem, é estar ciente que embora determinado país esteja com a fronteira aberta, essa situação pode mudar a qualquer momento. Tudo depende da evolução da pandemia em cada lugar, inclusive no Brasil.

Uma vez comprada a passagem, o viajante deve entrar no site da companhia aérea e verificar os requisitos e exigências para visitar o país escolhido. Alguns exigem comprovantes de vacinação, testes negativos para Covid-19, além do preenchimento de formulários de saúde.  Há países que pedem os três, outros que pedem apenas dois destes requisitos, como também é possível encontrar quem não peça nada.

Cada companhia aérea tem uma área específica em seu site para que o viajante possa inserir seu país de origem, o de destino e se fará conexão em algum outro local. Ao inserir essas informações, o viajante será direcionado para uma página com todas as exigências existentes nos destinos envolvidos na viagem.

Companhias aéreas devem ser consultadas sobre restrições no destino da viagem

No caso do México, não há exigência de vacina nem de teste negativo para a doença. A única exigência é o preenchimento de um formulário, no mínimo 12 horas antes da partida do voo ou na chegada ao país. Se por um lado isso facilita a viagem, por outro corre-se o risco de ter alguém infectado sentado ao seu lado no voo.

Embora alguns países ainda exijam quarentena de determinados viajantes na chegada ao país, esse tipo de requisito tem diminuído por conta da vacinação. Eu não recomendaria que você viajasse para um país que exige quarentena, afinal, precisará passar alguns dias dentro de um hotel por conta própria e sem a possibilidade de sair até a liberação das autoridades locais.

No caso dos Estados Unidos, por exemplo, não será exigida quarentena, mas os viajantes precisarão apresentar o certificado comprovando as duas doses da vacina ou dose única (se for o caso), além de um teste RT PCR negativo para a Covid-19 com no mínimo 72h antes do voo. Todas as vacinas aplicadas no Brasil são aceitas pelo país da América do Norte.

Para voltar ao Brasil é necessário apresentar exame negativo e vacinação completa

Voltando à viagem ao México, pude perceber que as companhias aéreas, com voos internacionais em operação, adotam exatamente as mesmas medidas já conhecidas pela população brasileira. Uso de máscara durante todo o voo, distribuição de sachês de álcool em gel e o famoso anúncio de que o ar da aeronave é renovado a cada três minutos.

A diferença para os voos nacionais está no serviço de bordo. Como seria humanamente impossível fazer voos longos sem se alimentar, as companhias aéreas oferecem comida e bebida. Se o serviço já estiver incluso, não precisa se preocupar. Se estiver voando em uma companhia que apenas comercializa comida, você poderá comprar e se alimentar normalmente. Mas, atenção, a alimentação só está autorizada no momento do serviço de bordo. Durante todo o restante do voo, a máscara é obrigatória e alguns comissários fazem checagem e sinalizam caso o passageiro não a esteja usando corretamente.

As medidas de segurança aplicadas no México são totalmente idênticas às estabelecidas aqui no Brasil. Higienização das mãos, aferição de temperatura, uso de máscara e distanciamento. Embora na prática muita gente não use máscara ou prefira se aglomerar, em termos gerais os estabelecimentos cobravam o tempo inteiro que os visitantes obedecessem às regras.

O grande risco de viajar para o exterior no momento é exatamente contrair a doença e ficar impossibilitado de voltar ao Brasil. É que por determinação do Governo Federal, todo viajante, seja ele estrangeiro ou brasileiro, deve se submeter a um exame RT PCR, com no mínimo 72h para o voo, ou antígeno, com no mínimo 24h para o voo. 

Busque laboratório confiável para realizar seu exame

O cidadão só está liberado para ingressar no Brasil caso o exame esteja negativo. Se por algum motivo, o exame for positivo, você terá o embarque negado, tendo que permanecer no país até que um novo exame dê negativo. Isso significa ficar no exterior, de quarentena, em um hotel, pagando do próprio bolso a hospedagem, alimentação e demais despesas. É um risco! Por isso, se for viajar ao exterior, obedeça às medidas de saúde das autoridades sanitárias.

Outro ponto importante é se programar para fazer o exame com o prazo estabelecido pelo governo brasileiro. Em locais turísticos, você não terá dificuldade. Em Cancun, por exemplo, em todos os lugares possíveis têm uma placa indicando laboratório para RT PCR e antígeno, inclusive em espaços no meio da rua, no estilo “truck”, onde pode-se colher a amostra para o exame. 

No caso do México, o antígeno estava em média 30 dólares, enquanto o RT PCR ficava na casa dos 90 dólares. São valores consideráveis e que acabam por encarecer a viagem, ainda mais com o Dólar nas alturas e o Real como uma das moedas mais desvalorizadas durante a pandemia. Alguns laboratórios oferecem a coleta no próprio hotel, com horário marcado, mas o valor pode subir ainda mais.

No meu caso, como voltei da Cidade do México, tive um pouco mais de dificuldade de encontrar um laboratório, afinal não havia toda aquela oferta de Cancun, muito menos espaços nas ruas. Tive que pesquisar para achar um laboratório confiável. O valor foi exatamente o mesmo praticado em Cancun. O resultado negativo do meu antígeno chegou por e-mail cerca de 40 minutos depois do exame.

Muitos países, inclusive o Brasil, exigem preenchimento de formulários de viagem

Para voltar ao Brasil, você deve apresentar este exame pelo celular ou impresso no momento do check-in ou no embarque, caso tenha feito check-in online. Além disto, todo viajante que tem como destino o Brasil, deve preencher um formulário da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) disponível no https://formulario.anvisa.gov.br. Você vai preencher nome e e-mail e receberá um link em seu correio eletrônico para preencher o formulário que também deve ser apresentado no aeroporto. 

Em termos gerais, foi bom ter voltado a viajar ao exterior depois de 1 ano e 7 meses. O turismo no México está funcionando quase normalmente, porém com redução de capacidade em determinadas atrações para evitar aglomerações. Ainda assim, é possível ver muita gente sem nenhum senso de coletividade, desrespeitando normas. De qualquer forma, foi positivo ver a grande maioria de máscara no transporte público mexicano.

Vai viajar? Planeje com cuidado, tenha atenção e respeito às medidas sanitárias e tome muito cuidado para não contrair o vírus, pois, como dito acima, isso pode te impedir de voltar ao Brasil, gerando transtorno e prejuízo.   

Curtiu esse guia de como viajar na pandemia e com segurança? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais. Para mais dicas de viagens e turismo, me siga no Instagram @issabordo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *