O que fazer em Curitiba em um final de semana

Uma surpresa extremamente agradável! Foi assim que eu me senti ao visitar Curitiba pela primeira vez. Como tinha pouco tempo para desbravar a cidade, peguei o Ônibus Hop-on Hop-off, que percorre 24 atrações em pouco mais de 2h. Você escolhe em quais pontos quer descer e depois de ver a atração, basta voltar ao ponto e pegar o próximo ônibus. A boa desse serviço em Curitiba é que o ônibus passa a cada meia hora, não fazendo com que o visitante espere tanto tempo assim para seguir o passeio. À época da minha visita, em abril de 2019, o ticket para 24h custava R$ 50 por pessoa.


Essas são as 24 paradas do ônibus de turismo: Praça Tiradentes/Catedral, Rua das Flores, Rua 24 Horas, Museu Ferroviário, Teatro Paiol, Jardim Botânico, Mercado Municipal/Mercado de Orgânicos, Universidade Federal do Paraná/Teatro Guaíra, Paço da Liberdade, Passeio Público/Memorial Árabe, Centro Cívico, Museu Oscar Niemeyer, Bosque João Paulo II/Memorial Polonês, Bosque Alemão, Bosque Zaninelli/Universidade Livre do Meio Ambiente, Parque São Lourenço, Ópera de Arame/Pedreira Paulo Leminski, Parque Tanguá, Parque Tingui/Memorial Ucraniano (2 paradas), Santa Felicidade, Parque Barigui, Torre Panorâmica e Setor Histórico.

Verifique quais pontos você tem interesse de conhecer e monte seu próprio roteiro para economizar tempo.

Banco na Rua das Flores

RUA DAS FLORES E MERCADO MUNICIPAL

Conhecida como Rua das Flores, esse trecho da Rua XV de Novembro é uma prova do quanto Curitiba é charmosa. Se estiver na capital paranaense, não deixe de conhecer essa atração, afinal, é aqui no calçadão que você vê a vida passar nessa cidade. São inúmeras lojas, bares, restaurantes, cafés e artistas de rua, fazendo ferver o centro de Curitiba. Fotogênica, a rua ficou famosa no início da década de 70 por ser a primeira do Brasil a se tornar exclusiva para pedestres. Se você estiver hospedado no centro, não terá dificuldades para encontrar a Rua das Flores e outras atrações como a Rua 24h e as Praças Tiradentes e Osório. Já o Mercado Municipal, também conhecido como Mercado de Orgânicos, é mais uma parada do tour. Aqui, você vai encontrar frutas, verduras e iguarias variadas, além de algumas lojas de artesanato e de comida local.

Barraca de frutas no Mercado Municipal


PARQUES DE CURITIBA


Curitiba tem lindos parques, então se planeje para conhecer os principais. Entre os parques estão o Barigui, Tingui e Tanguá, sendo este último o meu preferido. Não tive tempo pra visitar os dois primeiros, mas consegui olhar do alto do ônibus de turismo. Com entrada gratuita, o Tanguá possui um mirante de 65 metros de altura, além de cascata e belas flores. Muita gente vem até aqui fazer um piquenique, apreciar o por do sol e tirar belas fotos. O local também conta com lago, cachoeira, pista de cooper, ciclovia e trilha em meio à mata. Vai dizer que não é bonito um lugar desses?

BOSQUE ALEMÃO

O Bosque Alemão é mais um lugar que me deixou apaixonado em Curitiba. A visita começa do alto, onde um mirante oferece uma visão de tirar o fôlego. Em seguida, você vai descer em meio à mata até chegar nesse lugarzinho lindo da foto. Com entrada gratuita, essa é mais uma das paradas do ônibus de turismo da cidade. O passeio é imperdível para quem estiver com crianças. É que a trilha pelo bosque remete a um conto de fadas por descrever durante o trajeto o conto João e Maria. No caminho, você também vai encontrar uma sala de leitura com contação de histórias para os pequenos. Para fazer uma foto boa como essa, sem outras pessoas, você vai precisar contar com a sorte ou ter muita paciência para esperar que os demais visitantes liberem a cena. Eu juntei as duas coisas: sorte e paciência.

Bosque Alemão é atração preferida das crianças

MUSEU OSCAR NIEMEYER

Rica em opções turísticas, principalmente seus lindos parques, Curitiba oferece também muita cultura. Prova disso é que na cidade fica o Museu Oscar Niemeyer, visita obrigatória caso esteja na capital paranaense. Com entrada por R$ 20 (inteira), o MON tem esse formato inusitado, que lhe rendeu o apelido de Museu do Olho. Projetado pelo arquiteto homônimo, o lugar conta com acervo permanente e mostras itinerantes. Estão em destaque no acervo do MON obras dos seguintes artistas: Andy Warhol, Tarsila do Amaral, Candido Portinari, Caribé, Tomie Ohtake e o próprio Oscar Niemeyer, que tem uma mostra destinada à sua homenagem. Atualmente o Museu está fechado por conta da pandemia, mas uma boa dica é se programar para ir na quarta-feira quando a entrada é gratuita.

Visita rápida à parte externa do MON

MEMORIAL UCRANIANO

O Memorial Ucraniano, como o próprio nome já diz, é uma homenagem aos imigrantes ucranianos que se estabeleceram em Curitiba. Parte do Parque Tingui, essa atração é composta por várias casas no estilo bizantino, além de uma réplica da Igreja de São Miguel. A área é cercada por muito verde, fazendo o visitante se sentir ainda mais agraciado com a beleza do lugar. Como quase tudo em Curitiba, essa também é uma atração gratuita. Ao longo do ano, festas típicas acontecem no memorial, onde há também venda de artesanatos. Essa é mais uma parada do ônibus de turismo. Aproveitei o máximo que pude para conhecer a capital paranaense, mas como imprevistos acontecem, não consegui conhecer a Ópera de Arame, pois na época da minha viagem a mesma estava com acesso limitado por conta de um festival de música eletrônica.

Entrada do Memorial Ucraniano

JARDIM BOTÂNICO

Tido por muitos como o ponto mais charmoso, fotogênico e concorrido de Curitiba, o Jardim Botânico é realmente um excelente espaço para observar a natureza e passear com a família e os amigos. E essa atração também é gratuita, o que, além de ser um afago aos bolsos dos turistas, acaba sendo um convite para visitação de um lugar tão interessante. Implantado em 1991, o Jardim Botânico funciona de segunda a domingo, a partir das 6h, e conta com uma área de 178.000 m².

A fauna local é composta por gambá, tatu, caxinguelê, preá, cutia, pequenos mamíferos, sapo, perereca, rã, bem-te-vi, João-de-barro, ananaí, sabiá-laranjeira, sabiá-cavaleiro, sanhaço, pomba asa-branca, chupim e gralha-picaça. Já a flora dispõe de araucária, imbuia, cedro, aroeira, pimenteira, pitangueira, bromélias e orquídeas.

Além disso, o Jardim tem os seguintes equipamentos à disposição do público: Estufa, Museu Botânico Municipal/Herbário, bistrô, jardim em estilo francês, Jardim das Sensações, lagos, fontes, pista de caminhada, sanitários públicos, loja, Centro de Atendimento ao Turista (CAT) e estacionamentos.

Jardim Botânico tem entrada gratuita

LAZER E COMIDAS

Apesar do pouco tempo na capital paranaense, confesso que gostei muito da vida noturna da cidade, com boates e casas de shows, além bares, restaurantes e hamburguerias. Opções não vão faltar para curtir a noite. Em algumas épocas do ano ou em determinados finais de semana ainda pode rolar alguma feirinha nas praças da cidade. Essas feirinhas são ótimas para provar comida típica e comprar lembranças do artesanato local. Eu visitei a que estava acontecendo na Praça General Osório, que naquele dia tem temática de feirinha da páscoa por estarmos próximos à Semana Santa.

E você, conhece Curitiba? Me conta aqui nos comentários o que não pode faltar em um tour pela cidade. Tem alguma dúvida ou precisa de dicas? É só dizer! Se preferir, manda mensagem no direct do Instagram @issabordo que terei o prazer de conversar com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *