Vale a pena fazer bate volta para Jericoacoara? O que fazer em Jeri?

Depende! Se você tiver com pouco tempo, tudo bem, pode fazer o bate volta, mesmo sabendo que vai ser super cansativo. O bate volta costuma partir dos hotéis de Fortaleza entre 3h30 e 4h da madrugada. Depois de 4h30 de estrada, com uma parada para o café, enfim chegamos a Jijoca de Jericoacoara. 

Apesar de ter aeroporto próprio, muitas pessoas preferem ir para Jeri saindo de Fortaleza. É que no aeroporto local são poucos voos e os preços são mais altos. Eu aproveitei minha terceira ida à capital do Ceará e decidi que era hora de conhecer esse destino que tem encantado e se tornado cada vez mais popular. 

Caso queira fugir dos altos preços de voos diretamente para Jeri, não tem problema algum iniciar sua aventura a partir de Fortaleza. Várias empresas realizam transfer e também o bate volta. O transfer com a @fortaleza__travels fica por R$ 100 cada trecho. Já o bate volta, com todos os passeios inclusos, sai por R$ 190. Quem preferir transfer exclusivo, deve preparar o bolso. Nas minhas pesquisas, achei valores que ultrapassavam R$ 1000. E sobre alugar carro, só indico se for motorista experiente em dirigir veículos 4×4. 

Eu fiz o bate volta porque tinha pouco tempo, mas recomendaria que passasse, no mínimo, três dias em Jeri. O lugar é mesmo um paraíso e merece ser explorado com calma. 

Buraco Azul 

Se você deseja conhecer o mais novo point do lugar, o famoso buraco azul, fale com o seu guia. Esse passeio não está incluso no roteiro do bate volta e deve ser pago a parte, podendo custar entre R$ 40 e R$ 70 por pessoa. É necessário sinalizar ao guia para encaixar o passeio antes de seguir da Lagoa do Paraíso para a Árvore da Preguiça, que é a segunda parada do bate-volta. 

Lagoa do Paraíso 

Depois de tantas horas na estrada, a primeira parada costuma ser a Lagoa do Paraíso, com suas verdes e tranquilas águas. Aqui, o turista aproveita as famosas redes na água para fazer uma das fotos mais concorridas de Jeri. Também há outros pontos para tirar boas fotos, como os caminhos de madeira dos restaurantes à lagoa e aquelas espécies de casinhas que o turista sobe para apreciar a vista e sentir a brisa. É na Lagoa do Paraíso que você deve almoçar. Escolha o restaurante que melhor encaixa no seu bolso, mas fique atento porque algumas agências costumam te levar para o restaurante mais caro e tentam evitar que você coma em locais mais baratos sob justificativa de pagamento de uma taxa para voltar a acessar a área da lagoa. 

Árvore da Preguiça 

Saindo da lagoa do paraíso, o ônibus que te trouxe até Jeri passa a ser passado. Agora é hora de pegar uma 4×4 e sacolejar pela areia até chegar numa das atrações mais concorridas de Jericoacoara, a árvore da preguiça. Localizada à beira-mar, a árvore é mesmo encantadora, A disputa para tirar uma foto é grande, porém organizada. Duas filas, em lados opostos da árvore, serviam de espera para o visitante. Consegui tirar minha foto com rapidez, pois, ao contrário de muitos turistas, me preocupo com o espaço de cada um. Quando o lugar é concorrido, tento fazer as fotos rapidamente para não atrapalhar o direito de todos que ali estão. Por falar em educação, é proibido subir na árvore, sob pena de multa, mas tinha muita gente cometendo esse delito na maior cara de pau. Até que ponto vai a falta de noção e educação de certas pessoas? Respeitem a natureza! 
 

Pedra Furada 

E eu que pensei que a Pedra Furada ficasse à beira-mar e tivesse fácil acesso. Tadinho de mim. O périplo estava apenas começando. Depois de conhecer a Árvore da Preguiça, seguimos viagem até a Vila de Jericoacoara, onde seria a vez de caminhar até outro ponto turístico famoso, a Pedra Furada. Ao chegar na Vila, são duas opções: caminhar por 40 minutos ladeira acima ou alugar um veículo de tração animal. Como sou contra a exploração dos bichos, fui a pé. Vale lembrar que depois da caminhada, é preciso descer até a praia por uma espécie de morro. Muito cuidado para não escorregar! Por sorte, a maré estava cheia, o que permitiu encontrar a Pedra Furada ainda mais bonita com o vai e vem das ondas. Só digo uma coisa: vale muito a pena o esforço para conhecer essa atração. Um lugar lindo e de energia incrível! Atenção: vá com calma. Se atente aos movimentos e ao tempo, principalmente se estiver em um bate-volta, afinal tem horário para sair de lá caso não queira perder o Por do Sol nas dunas. 

Pôr do Sol 

Não é fácil fazer bate volta de Fortaleza para Jeri. O ideal é mesmo passar uns dias na Vila. Apesar do corre corre, garanto que o esforço valeu a pena. Esse lugar é incrível e merecia ser visitado ao menos uma vez na vida por cada brasileiro. Desde a Lagoa do Paraíso, passando pela Árvore da Preguiça e pela Pedra Furada, tudo aqui parece moldado por Deus. E para coroar o dia intenso, nada mais justo que uma grande obra de arte da natureza, que é esse Pôr do Sol nas dunas, um dos mais lindos e especiais que já presenciei. A galera toda reunida nas dunas ou à beira-mar reverenciando o Astro Rei. Venham sentir essa magia de perto. 

Se for num feriado como eu, tenha paciência, principalmente depois do Sunset, quando se forma um engarrafamento de 4×4 para voltar a outros pontos de Jeri e ou a Fortaleza, no caso do bate volta. Em resumo, embarcamos no ônibus por volta das 19h. Sabe que hortas chegamos ao nosso hotel? Meia Noite!!! É por isso que digo que o bate-volta é muito cansativo. Fico imaginando que horas as pessoas que estavam hospedadas na Praia do Futuro chegaram em seus hotéis. Nossa sorte é que estávamos na região de Iracema. 

Caso queira agendar o bate-volta ou transfer, o contato de Jeferson da Fortaleza Travels é (85) 98772-6081. Ficou alguma dúvida? Segue o @issabordo no Instagram e manda mensagem no Direct que farei questão de te ajudar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *